Dieta: Detox, tem de ser líquido?

Veja como pode fazer uma dieta detox que não inclua apenas líquidos.

O detox é normalmente associado ao emagrecimento rápido, no entanto esse não é o seu objetivo primordial, mas sim o de ajudar o nosso organismo a eliminar toxinas que se vão acumulando com o passar do tempo, especialmente na população mais ocidental. A perda de peso acaba por ser uma consequência.

A ideia principal não é mais do que fornecer alimentos ao nosso corpo que apresentem propriedades funcionais capazes de ajudar o fígado, os rins, o intestino e a pele a metabolizar e a eliminar as toxinas. Para além disso se tivermos uma dieta alimentar e estilo de vida saudáveis estaremos a minimizar a exposição a resíduos tóxicos.

Olhando para o detox como fazendo parte de um estilo de vida saudável e não como uma dieta passageira, assumimos desde já que “Detox” não são só sumos e batidos (à base de frutas e vegetais). Estes podem sim fazer parte da sua alimentação, mas nunca para substituir refeições, muito menos de forma exclusiva.

detox 1

Para ter uma dieta alimentar mais detox, completa e variada comece por garantir que inclui:

• Água, chá e/ou tisanas
• Brócolos, couve-flor, couve-de-bruxelas, repolho, alcachofra, cebola e alho
• Frutos vermelhos, cacau, café e chá verde
• Uvas, vinho, maçã
• Citrinos (laranja, tangerina, limão, lima)
• Abacaxi, melancia
• Açafrão
• Coentros e hortelã
• Castanha do Pará e outros frutos oleaginosos
• Algas nori e chlorella
• Farináceos integrais (ex: arroz integral)
• Carnes magras (preferencialmente de origem biológica)
• Sementes de linhaça
• Leguminosas
• Peixe (salmão, cavala, sardinha, truta)
• Ovo

E evite:
• Alimentos muito processados e com vários aditivos (ex: bebidas alcoólicas, refrigerantes, enlatados, adoçantes);
• Excesso de farináceos e preferindo as versões integrais;
• Uso despreocupado de fármacos ou automedicação;
• Fumar;
• Gorduras visíveis da carne e peixe
• Zonas carbonizadas das torradas e dos grelhados
• Açúcar


No fundo para um bom detox mantenha-se longe de alimentos com longas listas de ingredientes. O simples e biológico será sempre o melhor. E não se fique pelas frutas e legumes. Eliminam resíduos e muito mais! Há nutrientes importantes que é preciso garantir, pois para além de participarem nos processos de desintoxicação também preservam a massa muscular como as vitaminas do complexo B, vitamina E, zinco, selénio e aminoácidos como a cisteína, que estão presentes em alimentos como a carne, o peixe, o ovo e os frutos oleaginosos.

Quanto ao exercício físico, este não deve estar de fora quando procuramos um estilo de vida mais saudável. A sua prática regular promove um aumento da expressão da glutationa (um dos nossos antioxidantes mais importantes), promovendo uma eliminação de resíduos mais eficaz.

Se tiver dificuldade em estruturar a sua alimentação de forma a ser mais detox, peça ajuda ao nutricionista do seu clube.
Cuide de si e dos seus!

Sónia Sousa
Nutricionista Holmes Place Coimbra
Referências
Agarwal R, G. S. (2010). Detoxification and antioxidant effects of curcumin in rats experimentally exposed to mercury. J Appl Toxicol.
Carvalho, P. (2016). Os mitos que comemos. Matéria-Prima Edições.
Guoyao Wu, Y.-Z. F. (2004). Glutathione Metabolism and Its Implications for Health. The Journal of Nutrition.
Klein AV, K. H. (2015). Detox diets for toxin elimination and weight management: a critical review of the evidence. J Hum Nutr Diet.
Lee I, T. M.-N. (2015). Detoxification of chlorella supplement on heterocyclic amines in Korean young adults. Environ Toxicol Pharmacol.
Malhotra A, D. D. (2014). Current view of zinc as a hepatoprotective agent in conditions of chlorpyrifos induced toxicity. Pestic Biochem Physiol.
Morita K, T. K. (2002). Increasing effect of nori on the fecal excretion of dioxin by rats. Biosci Biotechnol Biochem.
Tinggi, U. (2008). Selenium: its role as antioxidant in human health. Environ Health Prev Med.

Gostou deste artigo? Deixe-nos o seu comentário.

Partilhe com os seus amigos!

Categoria Tags