O EXERCÍCIO E A MENOPAUSA

Descubra como contrariar as consequências da menopausa.

Sensivelmente a partir da terceira década de vida, o contexto orgânico do corpo humano começa a sofrer alterações em todos os aspetos. De facto, há evidências que é a partir desse momento que começamos todos, com maior ou menor incidência, a envelhecer a partir desse ponto. Por exemplo, é natural que comecemos a reparar que, apesar de termos uma ingestão calórica semelhante a anos anteriores, parece que começa a existir uma maior acumulação de gordura no corpo. Isso deve-se à menor eficácia dos variados metabolismos inerentes ao corpo humano.

Quando a mulher atinge a menopausa, o sistema endócrino (responsável pela regulação hormonal) sofre uma revolução silenciosa, havendo menor secreção para o organismo de hormonas chave para a manutenção do perfil corporal. Assim, pode haver com maior facilidade uma redução de massa muscular e massa óssea, assim como, um aumento da massa gorda.

exercício e menopausa

Hormonas, exercício físico e humor

Um dos fatores decisivos para contrariar esta inevitabilidade temporal é praticar exercício físico. Porquê? Além das melhorias estéticas que daí podem advir, a sua prática estimula a produção de “hormonas da juventude”, que fazem com que haja um estímulo na produção de novas células ósseas (combatendo a constante remoção de células ósseas mortas), prevenindo a tão falada osteopenia/osteoporose.

Além disso, comparando com uma mulher sedentária, o corpo e a mente de quem pratica exercício físico 3x na semana mantém-se mais equilibrado durante mais tempo.

Estudos recentes da Universidade de Duke, interligaram o exercício físico à criação de estímulos mentais semelhantes aos desafios laborais, sendo fantástico para quem está reformado e quer manter o cérebro jovem. Por outro lado, concluiu que o exercício físico está relacionado com a manutenção de equilíbrio e consequente diminuição do perigo de quedas que estão, muitas vezes relacionadas com fraturas que levam à imobilização parcial.

Em boa verdade, embora possa parecer muitas vezes uma redundância, o exercício físico é o medicamento mais eficaz para prevenir as doenças degenerativas. Quer manter o peso e evitar fraturas derivadas da fraqueza óssea? Prefere ter um cérebro desperto? Então, pergunte-se: o que é que o impede de tomar a decisão mais importante para preservar o seu estilo de vida? Pois… é simples!

Nuno Cerdeira Ribeiro
Master Trainer

Conheça os nossos programas de verão, sem fidelização em: Saiba mais

Gostou deste artigo? Deixe-nos o seu comentário.

Partilhe com os seus amigos!

Categoria Tags