Osteoporose e Exercício Físico

A prática regular de exercício físico é, pois, uma das recomendações da National Osteoporosis Foundation para a prevenção da Osteoporose, a par da toma diária de vitamina D e cálcio e de uma dieta equilibrada.

Exercicio Físico e a profilaxia da Osteoporose

A Osteoporose é uma doença esquelética caraterizada pela perda de densidade mineral óssea (DMO), o que provoca alterações na micro-arquitetura do osso e aumenta a suscetibilidade a fratura.

A diminuição de massa óssea é assintomática (doença silenciosa), pelo que o diagnóstico tem extrema importância. O diagnóstico deve incluir uma osteodensitometria a 3 locais essenciais: rádio distal, coluna lombar e colo do fémur, o historial individual e familiar de fatores de risco.


A prática regular de exercício físico é, pois, uma das recomendações da National Osteoporosis Foundation, a par da toma diária de vitamina D e cálcio e de uma dieta equilibrada. Evitar fatores de risco alteráveis (ex.: tabagismo, álcool, sedentarismo), fazer exames diagnósticos e tomar medicação recomendada, são ainda recomendações a seguir.

osteoporose

* Deve incluir exercícios funcionais, equilíbrio e postura. Assim, quem já sofreu uma queda deve focar-se em exercícios que promovam o equilíbrio; se a zona da cintura escapular/coluna estiver a ficar arqueada deve focar-se em exercícios posturais; se a maior dificuldade for a subir escadas ou a levantar-se de uma cadeira/sofá deve focar-se em exercícios funcionais.
** Somente quem tem densidade mineral óssea diminuída e está em risco de osteoporose. Indivíduos com osteoporose devem fazer atividades de baixo impacto.

Fatores de risco

• Género (mulheres têm maior incidência)
• Idade (pessoas mais velhas têm maior incidência)
• Certas raças e etinas (caucasianos, asiáticos, hispânicos)
• História familiar de osteoporose ou fraturas e historial pessoal de fraturas
IMC < 18,5 kg/m2 (magreza excessiva)
• Amenorreia
• DMO do cólo do fémur
• Consumo excessivo de álcool e cafeína
• Tabagismo
• Alguns medicamentos causam perda de massa óssea (ex.: glucocorticóides, anticonvulsivos)
• Algumas doenças: genéticas, endócrinas (défice de hormonas sexuais), hematológicas, auto-imunes (artrite reumatoide), distúrbios alimentares (anorexia/bulimia)
• Atividade física inadequada e imobilização/sedentarismo.

Referências

• National Osteoporosis Foundation: http://nof.org/
• Associação Portuguesa contra a Osteoporose (APOROS): http://www.aporos.pt/
• International Osteoporosis Foundation: http://www.iofbonehealth.org/
• Thompson, W. (Eds.) (2009). Exercise Prescription for other clinical populations. ACSM´s Guidelines for Exercise Testing and Prescription, 8rd edition.


Sofia Silva
Personal Trainer Holmes Place

Gostou deste Artigo? Deixe aqui a sua Opinião.
Categoria Tags