Por que ser saudável é mais importante do que ser magro

Magreza não significa felicidade – ser saudável, sim. Descubra 4 formas de redefinir os seus objetivos.

Como quer sentir-se este verão? Com energia? Em forma? Pronta para exibir o seu novo biquíni? É comum acreditar que a perda de peso é a chave para o bem-estar. Mas ser magro não significa ser feliz – ser saudável, sim.

Para muitos, o objetivo de fazer exercício é eliminar gordura corporal, queimar calorias e perder peso. Apesar de estas serem razões válidas, os benefícios de fazer exercício são muitos mais. A atividade física pode também melhorar a sua disposição, fortalecer o coração, reduzir o risco de cancro e diabetes, aumentar a resistência do corpo aos vírus, melhorar a memória e desintoxicar o seu corpo.

No que toca à nutrição, o importante é satisfazer o corpo através da comida – ao invés de o submeter à privação. Se o seu objetivo é ser magro, talvez não esteja a fazer o mais indicado para o seu corpo. Descubra quatro formas de melhorar a sua dieta e estilo de vida e começar a trabalhar para os objetivos certos.

1. Escute o seu corpo

A chave para um corpo feliz e saudável é comer, o mais frequentemente possível, alimentos frescos e da época. Se sentir fome, com desejo específico por comida que o satisfaça, o corpo está a dizer-lhe que precisa de comer. Mas se a sua dieta é a base de alimentos integrais, não deveria sentir estas crises de fome – se as sente, coma mais. Ter fome poderá ajudá-lo a perder peso, mas não será bom para manter um estilo de vida saudável a longo prazo.

2. Escolha um exercício que lhe agrade

Não faz sentido fazer um exercício de que não goste. Pode perder peso, mas não irá conseguir manter essa rotina – e por que há de fazer esse sacrifício? Quer seja saltar num trampolim, mergulhar numa piscina ou dançar até atingir os seus objetivos fitness, todos podem encontrar pelo menos uma atividade de que gostem. O Holmes Place oferece-lhe as aulas e os exercícios mais populares do mundo, mas se não lhe apetece sair de casa, pode até exercitar-se no seu sofá. O fitness que se adapta ao seu estilo de vida terá mais probabilidade de se tornar um hábito regular, mantendo-o feliz e saudável a longo prazo.

3. Diga não à comida de dieta

Alimentos “sem açúcar”, “sem gordura” e com “zero calorias” não são necessariamente boas escolhas. Na realidade, a maioria destas “comidas de dieta” estão repletas de químicos, adoçantes artificiais e óleos hidrogenados que tentam compensar a perda do sabor. Não são tão saborosos como a comida “real” e não fornecem ao corpo os nutrientes de que este precisa para se manter saudável, em forma e sem fome. Para uma dose extra de nutrientes, aposte nos “superalimentos” como a quinoa, batata doce e mirtilos. Nunca mais irá olhar para aquelas refeições de dieta prontas a ir ao micro-ondas.

4. Não tente ir além dos limites

Moderação não é privação. Esta é a chave para um estilo de vida feliz e saudável – e por vezes isso quer dizer que pode ter o seu bolo e comê-lo! A partir do momento em que diz a si próprio que não pode comer uma bolacha, é nessa bolacha que vai pensar durante todo o dia. Vai sonhar com essa bolacha, até que por fim irá ceder e comer não apenas uma, mas todo o pacote. E o que acontece logo depois? Vai sentir que falhou e pensar que afinal é demasiado difícil ser saudável. Ao invés de cortar todos os snacks ou comida de plástico, prefira consumir alimentos integrais durante 80 por cento do seu tempo, para depois se permitir uma merecida “batota” de vez em quando. Em resumo, a melhor forma de desfrutar em pleno das tentações doces que tanto aprecia, e ao mesmo tempo perder peso, é escolher alternativas saudáveis – como, por exemplo, substituir o açúcar pelo mel, ou o chocolate pelo cacau.

Holmes Place Internacional

Gostou deste artigo? Deixe-nos o seu comentário.

Partilhe com os seus amigos!


Categoria Tags