Proteína ou Hidratos de carbono? Mitos e curiosidades

Deverá manter hidratos de carbono e proteína na sua dieta alimentar?

Hoje em dia, com o desejo de se obter uma vida saudável, um corpo de sonho, perder ou ganhar peso, procura-se uma forma de atingir esses objetivos de uma forma simples, rápida e sem grande sofrimento. Com isto, muitas questões se colocam acerca da dieta alimentar no geral em especial e os 2 macronutrientes bastante falados são a proteína e os hidratos de carbono.

pão

Os hidratos de carbono provêm sobretudo de alimentos de origem vegetal, dos cereais e seus derivados: frutos, leguminosas e tubérculos.
Estes podem ser divididos em 2 grupos:

  • hidratos de carbono simples: são absorvidos rapidamente pelo nosso organismo por serem constituídos por 2 unidades de açúcar
  • hidratos de carbono complexos: são constituídos por muitas unidades de açúcar que necessitam de ser divididos em unidades mais pequenas para serem absorvidos, logo demoram mais tempo a ser absorvidos.

salmão

A proteína é outro macronutriente presente na dieta, responsáveis pela manutenção e crescimento dos nossos órgãos e tecidos. Estas são sequências de aminoácidos cuja ordem é determinada pelo DNA e define a função de cada proteína.

Podem dividir-se os aminoácidos em 3 grupos:

  • aminoácidos essenciais que não são sintetizados pelo nosso organismo ou não o podem ser com rapidez suficiente para satisfazer as nossas necessidades;
  • aminoácidos não essenciais podem ser sintetizados a partir de outros aminoácidos desde que os aminoácidos percursores estejam presentes em quantidade suficiente na dieta;
  • aminoácidos não essenciais que podem ser sintetizados pelo organismo.

Apresentamos aqui 2 questões levantadas frequentemente nos macronutrientes:

Consumo de uma dieta hiperproteica causa problemas nos rins?

Em muitas dietas existe um aumento do aporte de proteína em detrimento dos hidratos de carbono e/ou gorduras, muitas pessoas se questionam se esta sobrecarga proteica pode produzir algum impacto nos rins.
Num estudo realizado, durante 1 ano, em 115 adultos com obesidade com diabetes tipo 2 e sem qualquer tipo de patologia renal preexistente, foram comparadas 2 dietas, uma hiperproteica com teores baixos de hidratos de carbono e gordura saturada e outra com aporte normal de hidratos de carbono e baixo teor em gordura durante 1 ano e verificou-se que a dieta hiperproteica não afetou os marcadores de função renal.

O mesmo resultado foi obtido num estudo realizado em atletas de alta competição, onde durante 4 meses, submeteu-se os atletas a uma dieta com um aporte proteico 4x superior ao normal. Sendo que os indicadores de saúde (lípidos, glucose) também não sofreram alterações.

Para perder peso preciso de tirar todos os hidratos de carbono da alimentação?

Algo que é muito popular para a redução do peso, é a redução abrupta da ingestão de hidratos de carbono na dieta. No entanto, quando comparadas uma dieta com valores baixos de hidratos de carbono e outras com valores normais parece que, em ambas, se obtêm resultados positivos.
Num estudo realizado em pacientes obesos com diabetes tipo 2, comparou-se 2 dietas uma com baixo teor de hidratos de carbono e baixo teor de gorduras saturadas e outra com e valor energético ajustado e ambas obtiveram grandes reduções de peso.

Tanto os hidratos de carbono como a proteína têm papéis fundamentais no nosso organismo, como tal não devem ser retirados de uma forma exagerada e desregulada da nossa dieta. Para uma dieta específica, equilibrada e adequada as suas necessidades, procure a ajuda de um nutricionista, pois o que resulta com uma pessoa pode não resultar com outra e vários ajustes podem ser necessários até atingir os seus objetivos.


Referências Bibliográficas:
Tay J., Luscombe-Marsh N., Thompson C., et al., Comparison of low- and high-carbohydrate diets for type 2 diabetes management: a randomized trial, American Journal of Clinical Nutrition, 2015 Oct;102(4):780-90. doi: 10.3945/ajcn.115.112581. Epub 2015 Jul 29
Kennedy E., Bowman S., Spence J., Freedman M., King J., Popular diets: correlation to health, nutrition, and obesity, Journal of the American Diet Association, 2001 Apr;101(4):411-20.
Sackner-Bernstein J., Kanter D., Kaul S., Dietary Intervention for Overweight and Obese Adults: Comparison of Low-Carbohydrate and Low-Fat Diets. A Meta-Analysis, PLoS One. 2015 Oct 20
Tay J., Thompson C., Luscombe-Marsh N., Buckley J.,et al., Long-Term Effects of a Very Low Carbohydrate Compared With a High Carbohydrate Diet on Renal Function in Individuals With Type 2 Diabetes: A Randomized Trial, Medicine, Volume 94, Number 47, November 2015
Antonio J., Ellerbroek A., Silver T., Vargas L., Peacock C., The effects of a high protein diet on indices of health and body composition--a crossover trial in resistance-trained men, Journal of International Society of Sports Nutrition, 2016 Jan 16.
WHO/FAO (1998). Carbohydrates in human nutrition. FAO food and nutrition paper no. 66. FAO, Rome.
Kathleen Mahan L., L Raymond J., Escott-Stump S., Krause’s Food & Nutrition Therapy International Edition, 12 ed., Elsevier, 2012.

Ricardo Ferreira
Nutricionista Estagiário Holmes Place Miraflores

Gostou deste artigo? Deixe-nos o seu comentário.

Partilhe com os seus amigos!



Categoria Tags